Por que falar mais de uma língua pode desenvolver o país

Aprender um segundo idioma é muito importante para nossa vida, seja a profissional, acadêmica ou pessoal. Ter uma segunda língua nos propicia a entender muitos processos e referências em nosso mundo atualmente, somos influenciados diariamente por palavras e termos, principalmente em inglês. Você já deve ter ouvido em sua empresa alguns termos como “meeting, job, deadline, target, budget”, são apenas alguns exemplos que ouvimos.

Portanto é cada vez mais nítido que o multilinguismo individual nos abre muitas possibilidades, mas agora pesquisadores afirmaram que essa característica, quando aplicada a uma nação, pode alavancar seu desenvolvimento econômico e, consequentemente, social. Gabrielle Hogan-Brun, pesquisadora em Estudos da Linguagem na Universidade de Bristol, cita dados que ligam o crescimento econômico à diversidade linguística.

Um dos exemplos colocados é a Suíça, que atribui 10% do seu PIB à sua herança multilíngue. O país tem quatro línguas nacionais: alemão, francês, italiano e uma antiga língua latina chamada romanche. O Reino Unido, por outro lado, é estimada em perder o equivalente a 3,5% do seu PIB a cada ano, devido às habilidades lingüísticas relativamente pobres de sua população .

Isso pode ser em parte porque as línguas podem ajudar a construir relações comerciais. Um estudo de empresas de pequeno e médio porte na Suécia, Alemanha, Dinamarca e França descobriu que aqueles que investiram mais em idiomas puderam exportar mais bens . As empresas alemãs que investiram pesadamente em equipe multilíngue adicionaram 10 países exportadores ao seu mercado. As empresas que investiram menos disseram que perderam contratos.

Imagem: U.S. Census Bureau

Benefícios Individuais

Os pesquisadores também destacaram os benefícios individuais de falar mais de um idioma. Para aqueles que acham as línguas difíceis, a boa notícia é que você não precisa ser fluente para sentir um impacto positivo.

Vários estudos mostram que as línguas aumentam o poder aquisitivo. Na Flórida, os trabalhadores que falam espanhol e inglês ganham US $ 7.000 por ano a mais do que aqueles que falam apenas inglês. De acordo com um estudo canadense, homens bilíngues ganham 3,6% e mulheres bilíngues ganham 6,6% a mais do que seus pares que falam somente inglês. A reviravolta: isso era verdade mesmo que eles não usassem sua segunda língua para o trabalho.

“Parece que você não precisa realmente falar uma segunda língua no trabalho para colher as recompensas financeiras de ser bilíngue”, diz o professor de economia Louis Christofides, um dos autores do estudo. Os autores especularam que isso acontecia porque conhecer uma segunda língua era visto como um sinal de poder cognitivo, perseverança e boa educação.

Além dessas recompensas econômicas imediatas, as línguas podem ajudar a força de trabalho de um país de maneiras mais sutis e de longo prazo. O multilinguismo demonstrou, por exemplo, ser bom para a saúde do cérebro, retardando o início da demência. Ele também foi associado a uma melhor capacidade de concentração e processamento de informações. Os efeitos são mais fortes em pessoas que eram multilíngues desde novos, mas a aquisição de línguas mais tarde ainda fez a diferença.

“Até mesmo um curso intensivo de uma semana melhorou a atenção e este efeito permaneceu estável nove meses depois naqueles que praticavam cinco horas por semana ou mais”, dizem Thomas Bak, leitor de Psicologia da Universidade de Edimburgo, e Dina Mehmedbegovic, professora de Educação na UCL, em um artigo sobre o valor da diversidade linguística.

 

Imagem: Ethnologue

 

Dieta Linguística

Então, como os países podem aumentar seu capital linguístico? Bak e Mehmedbegovic usam o termo “dieta linguística saudável” para descrever uma abordagem positiva para as línguas ao longo da vida.

“Além de usar todas as oportunidades para dizer: ‘É bom para você comer frutas e verduras todos os dias’, as escolas também devem dizer: ‘É bom você falar, ler e escrever em idiomas diferentes’”, eles sugerem.

Isto é especialmente importante, uma vez que muitos países já possuem um vasto recurso linguístico inexplorado na forma de famílias migrantes. Mas enquanto muitos pais monolíngues empurram seus filhos para ter aulas de idiomas, os pais migrantes podem se sentir desencorajados de transmitir sua própria língua por medo de discriminação, ou porque eles acham que o multilinguismo é prejudicial. O resultado? “O tamanho e a riqueza da linguagem em casa estão comprometidos”, diz Viorica Marian, professora de Ciências da Comunicação da Northwestern University.

Dado que a diversidade linguística tem um impacto econômico tão poderoso, é alarmante que muitas línguas enfrentem um sério risco de extinção. Os mais vulneráveis ​​são línguas faladas por pequenas comunidades em áreas montanhosas. Os principais impulsionadores de seu declínio, segundo os dados dos pesquisadores, são a globalização e o alto crescimento econômico.

Fonte: World Economic Forum – https://goo.gl/RvvvRo

Marcos Maierhofer
Eu sou o Marcos, 22 anos, estudante de Administração de Empresas na UFRGS. Sou apaixonado por tecnologia, tendências, marketing e tudo que rompa com a nossa estúpida sensação de controle sobre nossas vidas. Muito rock, astrofísica e uma pitada de gastronomia!

 

One Reply to “Por que falar mais de uma língua pode desenvolver o país”

Leave a comment